"A água é potável
Daqui você pode beber"

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

"Não vão descer porque eu não quero!”

Sábado de sol.... vamos pra praia!!!

foto: Rodrigo



Cerca de 300 ciclistas saíram pedalando loucamente na manhã ensolarada de sábado, em direção à Santos. Que maravilha de idéia: vamos pra praia juntos.

O dia começou delicioso. Os ciclistas acordaram cedo, e pouco depois das 7 da manhã estavam nas ruas, gritando por menos carros, rindo, cantando e pedalando lentamente, sem pressa... curtinho um pouco a manhã de sol na Paulista.

E a gente podia? Sim, sim... a lei garante. É claro que nesse país, o fato de uma lei existir não garante o seu cumprimento. Mas a polícia está aí pra isso... fazer a lei funcionar. Está? (...)

Bom, então, amparados pela lei, os ciclistas pedalaram até o acesso à Imigrantes. E era lá que estava a polícia, à nossa espera, para garantir o descumprimento da lei. Fecharam a entrada com carros. Foi uma embolação. Mas o sol estava queimando, a praia estava chamando e não puderam conter a massa. Descemos das bikes e passamos por entre os policiais. Expulsos da estrada, atavessavamos pela grama a barreira policial.






foto: CicloBr


E isso aconteceu por diversas vezes. Como disse um amigo meu.... era uma coisa linda de se ver... escorríamos quase que como água por entre os dedos, invadindo os cantinhos, as frestinhas e as falhas nas barreiras policiais, uma após a outra. Entre as barricadas, seguíamos pedalando pelo acostamento. Os grupos foram se dividindo, pois nem todos conseguiam passar.


foto: ciclistasp


No 38km, os policiais nos cercaram melhor e tornaram-se mais agressivos. Contei umas 6, 7 viaturas para segurar o grupo de ciclistas em que eu estava. Fora as outras viaturas que ficaram para trás, segurando outros ciclistas. No total, foram umas 10, 15 viaturas deslocadas de seus serviços para segurar o bando de anarquistas, bandidos, perigosos e vagabundos que não queriam usar os carros para descer pra Santos. Ainda bem que em São Paulo e Santos a criminalidade é baixa e não faltam viaturas para garantir a segurança dos cidadãos.

Os curiosos nos carros diminuíam a velocidade para ver. Alguns se alegravam, iluminavam o rosto nos assistindo... outros gritavam, xingavam e ganhavam rugas de indignação... inveja, despeito, ou simplesmente ignorância... como assim pegar a imigrantes de bicicleta? hein?


Então a polícia estava com um grande problema: ciclistas = trânsito de carros na imigrantes. Por isso, por uma guerrinha de egos, por ignorância... o caldo engrossou. Então, gentilmente, nos conduziram para debaixo da ponte do 40 km, onde uma placa ilegal proibia a passagem de ciclistas.



Tomando o acostamento
foto: Rodrigo

Discutindo sobre as leis que amparavam os ciclistas, um dos policiais disse "não vão descer porque eu não quero". A polícia esteve contra a lei em várias situações. Alguns policiais removeram suas identificações, cheios de boas intenções.



foto: aninha



E, clamando garantir a nossa segurança, informaram aos ciclistas que quem passasse do 40 km poderia ser agredido. E ficamos ali, até entardecer, aguardando o resultado de um conflito político de egos e a necessidade de demonstração de poder de alguns policiais. Pouco antes de anoitecer fomos voltando em pequenos grupos.


Mas alguns conseguiram passar ao longo do dia e da noite. Então, de alguma forma, a praia foi nossa.






fotos: macaco veio

Para esses, deixo a minha homenagem e a minha pontinha de inveja. E uma salva de palmas para o maluco do Nico, o francês doido, que ía voltar conosco e, durante o percurso, entrou loucamente no matagal, dormiu sabe-se lá onde... Foi Brasil pro meio do mato, tentando chegar sabe-se lá onde também. Acabou encontrando dois dos ciclistas que passaram pela polícia e foi mais um dos nossos que ganhou o dia.



Apesar do aparente fracasso, o dia foi belíssimo. Nos enchemos de alegria o dia inteiro. Os ânimos ansiosos para chegar à praia, revoltados pelas ilegalidades e autoritarismo, felizes por estarmos juntos e cheios de força para fazer isso de novo. O cicloativismo é assim: às vezes se cai. Mas não pára: cada pedalada adiciona.

E quando cai, cai de bicicleta... então vale à pena.


http://selvadepedra.wordpress.com/2008/12/07/viagem-pra-santos-so-uma-palavra-impressionante/
http://picasaweb.google.com/eupedalo/BicicletadaInterplanetRia2008#

sábado, 13 de dezembro de 2008

Bicicletada Toda Sexta

No mês do Natal, com a lua mais perto da Terra...
o pessoal da CETB fazendo seu serviço....


Tem Bicicletada toda sexta em Dezembro!!
Porque todo bom velhilho que se preze.... VAI DE BIKE!!!!!!!!
Mais fotos: luddista

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Vamos pra Praia!!!!


Não me pergunte como. Eu não sei. Só sei que vou.
Andam suspirando por aí que mais de 100 pessoas irão... imagine só a Imigrantes... tomada pelas bikes!!!!!!!!


Na Bicicletada ninguém fica pra trás.
Obs: A Praça do Ciclista fica na Av. Paulista x Consolação

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Só para moças

Flores e bicicletas azuis...

Vejam só esse video adorável!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Bicicletada é...





(…) "Sei que a bicicletada tem um outro objetivo e vou entender quem acha inviável ou simplesmente por alguma convicção não acha certo eu pedir isso, mas não posso deixar de pedir, o que eu queria pedir a vcs é se nessa ultima sexta de novembro, vcs me acompanham para dar o passo mais importante da minha vida (até hoje), queria pedir a bicicletada e principalmente a todos vcs que me acompanhassem até minha namorada, pois vou pedi-la em casamento e como ela sente um ciumes da bicicletada queria mostrar que não tem motivos pra isso e mais uma vez tentar provar meu amor por ela e pela bicicleta.” (…)

O noivo
PS: A Bicicletada é uma loucura... individual e coletiva. Uma adorável loucura que me torna mais consciente de mim mesma.

Bicicletada da União


O carro degrada e segrega, já a bicicletada recupera e congrega. Por isso a Bicicletada Paulistana de Novembro visa celebrar a União. A união entre seres humanos, entre os povos. Diminuindo a distância entre as pessoas e a cidade, uma distância essa que só tem aumentado devido ao uso abusivo dos carros.
O local? O mesmo de sempre, Praça (ainda não sinalizada) do Ciclista, que fica no canteiro central da Avenida Paulista, entre as ruas da Consolação e Bela Cintra.
O horário? O mesmo de sempre, concentração a partir das 18:00 e saída as 20:00.
O trajeto? Como sempre decidido na hora, mas dessa vez, tudo leva a crer que o caminho escolhido é o que leva as pessoas ao altar.
COMO SEMPRE, É SÓ APARECER NO LOCAL!!!
Em caso de chuva, a Bicicletada está automaticamente CONFIRMADA, pois casório com chuva dá mais sorte ainda.
Saiba mais:
::. Bicicletada .:
:. Massa Crítica em São Paulo: sexta-feira (28/11)
:. concentração lúdico-educativa: 18h:.
Massa Crítica para humanizar o trânsito: 20h00
Local: Praça do Ciclista
Acesse:
Se você deseja receber informes sobre a bicicletada, por favor escreva para bicicletada.sp@gmail.com e solicite o seu cadastramento.

domingo, 16 de novembro de 2008

TNK Ford

Faço parte de um grupo de pessoas que não faz escolhas óbvias...




Enquanto a maioria quer o que é modinha, eu quero o que dá vontade



Enquanto a maioria vai aonde todo mundo vai... eu vou aonde é mais bacana



Enquanto todo mundo escuta ao que são condicionados, eu escuto o que me arrepia os braços



(Ford Focus? Nah...)

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Bicicletada do Raloim

Sexta-feira, a bruxa está solta. A Massa Crítica Paulistana convida novamente as bruxas, sacis, mulas-sem-cabeças, fantasminhas e demos que existem em nós para ocupar o espaço público de maneira ludica, fácil e inteligente.

Porque a Bicicletada é isso: lúdica, fácil e inteligente. Isso e outras mil coisas mais... já que ela é pra cada um uma(s) coisa(s).
Aqui você sempre será bem vindo, não importa o valor do seu carro ou a grife da sua cueca. Venha então fantasiado, vestido, sonhando ou voando.... Ou faça tudo junto! você é quem sabe!

A Bicicletada (Critical Mass) Paulistana acontece sempre na última sexta feira do mês há mais de 6 anos, e em mais de 400 cidades em todo mundo. Para participar, você só precisa comparecer ao ponto de encontro com um meio de transporte não motorizado. Pode ser Bicicleta, Patins, Skate ou até mesmo com seus próprios pés.

Não tem bicicleta ou não sabe pedalar ? Sem problemas! Apareça o quanto antes na praça e veja como fazer para pegar uma bicicleta emprestada. Na Praça, no nosso "Escritório", a concentração é a partir das 18:00.Às 20:00 começa o pedal lúdico-educativo, retornando a Praça para a continuação do “Street Office” em plena Avenida Paulista.

Se preferir, venha de bonde: http://www.bicicletada.org/bondes+locais+-+29-08-08
Em caso de chuva o evento está automaticamente CONFIRMADO, já que não teremos mais "batente", e estaremos em nossa " happy hour " .

As Bicicletas Lentas


Movimento das Bicicletas Lentas - Um estilo além da velocidade
Os Mandamentos

1. Escolho ser um ciclista lento e irei pedalar em um ritmo agradável. Pedalarei de uma maneira tranqüila e casual, aproveitando a viagem e o ambiente pelo qual estou passando.
2. Estou ciente de que a minha simples presença na paisagem urbana irá inspirar outros.
3. Irei pedalar nos meus deslocamentos diários, incluindo ir ao trabalho, as compras e restaurantes.
4. Irei me vestir com roupas adequadas ao meu local de destino. Posso ir até mais bem vestido por estar de bicicleta.
5. Irei personalizar minha bicicleta de acordo com os padrões da cultura ciclística e minhas
necessidades pessoais. Alguns ítens podem ser, protetor de corrente, descanso, paralamas, buzina, uma cestinha ou bagageiro.
6. Irei respeitar as leis de trânsito (tá certo, mais ou menos).
7. Irei pedalar com graça, dignidade e boas maneiras. Darei preferência aos pedestres nas ciclovias e cruzamentos com um sorriso no rosto e irei também agradecer aos motoristas quando eles derem preferência a mim.
8. Eu sei que pedalar é uma excelente oportunidade para praticar pequenas civilidades, socializar com a amigos e espalhar felicidade aleatoriamente para desconhecidos. Sendo assim irei comprimentar pessoas aleatoriamente na rua.
9. Irei resistir a usar “vestimentas de ciclista” - sendo a única exceção um capacete, caso, no exercício da minha liberdade de escolha, eu queira usar um.
Mais informações: http://theslowbicycle.blogspot.com/

"Felizes, seguros, que todos os seres tenham o coração pleno de bem-aventurança."
Dica: Pedalero

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Por um samba, pra ontem


Seu garçom faça o favor de me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada
Um pão bem quente com manteiga à beça
Um gardanapo e um copo d'água bem gelada
Feche a porta da direita com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado qual foi o resultado do futebol
E se você ficar limpando a mesa não me levanto e não pago a despesa
Não se esqueça de me dar palito e um cigarro pra espantar mosquito
Vá dizer ao charuteiro que me empreste uma revista um cinzeiro e um isqueiro
Seu garçom me empresta algum dinheiro que eu deixei o meu com o bicheiro
Vá dizer ao seu gerente que pendure esta despesa no cabide ali em frente

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

São Paulo e o grito

A Sofia, na foto de Panoptico

"É feia. Mas é uma flor. Furou o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio."

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Midnight Mass - Inspirações de Vancouver


Eles se encontram numa festa è meia-noite e pedalam, dançam, cantam, fazem suas firulas sobre duas rodas

Velomutation.com (annual festival of Biker Arts and Culture)

Bicicletada das Crianças







Nesse Domingo, a Praça do Ciclista estava cheia de sol. e que delícia de sol. E que delícia de dia. A crançada de várias idades ocupou a praça e por ali ficou... à vontade, enchendo os olhos de quem passava...

Despertando curiosidade nos motoristas, que talvez puderam se dar conta de que as ruas, as calçadas e as praças, quem sabe, fossem mesmo feitas para as pessoas.




Quem fosse capaz de olhar, perceberia:


Convivência e amizade





Família pedalando unida...




(Quantos anos nós temos, mesmo?)

Pessoas ajudando umas às outras... em gestos gratuitos




Algumas idéias fixas
Vamos? voando... voando....

Fotos
Tessie

Vídeos
Tessie

Relato
Aninha

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Como eu te disse


" Sobre o apego ao que é fugidio e transitório... O problema não é o que é fugidio e transitório. Em ser assim, não é problema. O negócio é encarar isso como permanente. Ok, isso é o que a frase diz. Mas parece que isso não te chamou muito a atenção. E isso, pra mim, é muito importante. As pessoas tendem a querer o eterno, porém têm um certo medo disso, quando pensam quanto tempo leva o eterno. Dá um certo frio na barriga (mas isso, tb, pra outro momento, sinto muitas coisas em relação a isso...). Bom, mas em sendo transitório, também está bem. E isso as pessoas tb não entendem. Vc pode escolher que a emoção que aquilo te causa seja permanente. Se aquilo se vai, virão outras coisas, virão outras pessoas. Então, é mais uma vez uma questão de foco e intenção. E vc terá a emoção que quiser. Mas isso vc já sabe.


O que quero dizer é que não importa se algo tenha comportamento transitório, pq pra você pode ser permanente. Mesmo com pessoas.



Sobre o apego. Acho que só não é bom quando é apego a qualquer coisa que limita seus sonhos. Suas escolhas. Ou que vai contra às aspirações de sua alma. Por exemplo um comportamento. Fumo, p. ex., ou ainda, uma pessoa que vc acha que gosta, mas fica te fazendo mal. Vc vicia na emoção que aquela pessoa te dá. Não pq é bom, mas pq as células viciaram. E há sempre uma nuvenzinha de tristeza na relação. Sinalizando pra vc que não é isso.... Mas vc fica ali tentando... Já fez isso? hehe... eu já. Esse apego é ruim. Isso, sim , causa sofrimento. Pq vc está contra tudo o que sua alma anseia e não te deixa voar. Daí não há vôo, iluminação, festa. Mas aí vem o que eu não concordo. O problema é a generalização. Nem todo apego é ruim. É isso que me incomoda, especialmente quando se trata de pessoas. Eu acho mesmo que quando vc identifica alguém, ou algum grupo te passa uma energia boa, você tem mesmo é que se jogar (a Bicicletada, por exemplo)!!! De novo, as possibilidades são infinitas. Inimaginadas. Quem sabe que emoção ou evolução aquele(s) pode(m) te trazer? Sentir o frio na barriga, aquela euforia. É sua fonte, seu eu, seu mestre, quem mais te ama, te dizendo: vai. Entende?
Sabe, eu vou pra fora do país (ía, rsrs). E daí que eu vou pra lá? (...) Só pq eu vou embora, vou morrer de saudade, vou afastar essa emoção de mim? De maneira nenhuma!!! Dor e sofrimento é não me jogar. É ficar tendo meia emoção, meia alegria, só pra depois ter só meia tristeza, meia saudade. Outra coisa. Só pq vc está aí no fim do mundo (oops, acho q eu é que estou).... Só por isso não vou lembrar de vc, ou não falar contigo, de tempos em tempos? Só pra não ter saudade? Aaaafff.... se for pra perder esse tipo de coisa, eu não tô nem aí pro apego!
Como eu te disse, é uma questão de foco, de ampliar a consciência. De estar aware das escolhas. E nisso entra a que e a quem se apegar. Entende, o que eu não gosto é uma leve idéia de abster-se... do tipo 'prefiro não me envolver...' Mas isso é com vc.... eu só queria te dizer faz tempo exatamente o que eu não concordava...
E sobre dor e sofrimento... só não gosto das palavras. Não gosto de usar esse tipo de palavra. Palavras causam alterações de pensamento. E pensamentos....... causam emoções. E emoções são espionadas por cada célula do nosso corpo..... E por aí vai o que a gente já concorda. E aí, a sua reformulação tem muito mais cor. Escrevi muito.


Beijo meu amigo querido

From the other side..."

Bicicletada do Dia das Crianças

arte: Ian Thomaz

Voando de bracinhos curtos....





Domingo (12) é Dia das Crianças. Dia de Bicicletada especial, a partir das 15h, na Praça do Ciclista.
Crianças de 0 a 125 anos são bem-vindas. Peteca, bola, corda para pular, bicicletinhas e outros brinquedos, também.



Saudades (para Fourier, Canna, Polly, Cam, Leo, Marri, Van, Bru, Guga, Capi, Dani, Ju, Benassi)


Meu caro amigo me perdoe, por favor
Se eu não lhe faço uma visita
Mas como agora apareceu um portador
Mando notícias nessa fita
Aqui na terra tão jogando futebol

Tem muito samba, muito choro e rock'n'roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol
Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta
Muita mutreta pra levar a situação
Que a gente vai levando de teimoso e de pirraça

E a gente vai tomando e também sem a cachaça
Ninguém segura esse rojão



Meu caro amigo eu não pretendo provocar
Nem atiçar suas saudades
Mas acontece que não posso me furtar
A lhe contar as novidades
Aqui na terra tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock'n'roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol



Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta



É pirueta pra cavar o ganha-pão
Que a gente vai cavando só de birra, só de sarro
E a gente vai fumando que, também, sem um cigarro
Ninguém segura esse rojão



Meu caro amigo eu quis até telefonar
Mas a tarifa não tem graça
Eu ando aflito pra fazer você ficar
A par de tudo que se passa
Aqui na terra tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock'n'roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol



Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta



Muita careta pra engolir a transação
E a gente tá engolindo cada sapo no caminho
E a gente vai se amando que, também, sem um carinho
Ninguém segura esse rojão



Meu caro amigo eu bem queria lhe escrever

Mas o correio andou arisco
Se me permitem, vou tentar lhe remeter
Notícias frescas nesse disco
Aqui na terra tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock'n'roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol


Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta



A Marieta manda um beijo para os seu
Um beijo na família, na Cecília e nas crianças
O Francis aproveita pra também mandar lembranças
A todo o pessoal

Adeus

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Mais uma vez


Man sows a thought and reaps an action. He sows an action and reaps a habit. He sows a habit and reaps a character. He sows a character and reaps a destiny.


Shivananda

Inspirações para os já viciados, idéias fixas





"E os dias eram deliciosamente preguiçosos, para nada fazer..."













quarta-feira, 1 de outubro de 2008